Novo Fluence GT Line, nome de esportivo, mas e o motor?

Esse sedan médio veio para agradar os amantes da estética esportiva

Apesar de seu nome lembrar o de um carro esportivo, o novo Fluence GT Line, da Renault, não conta com o desempenho de um motor 2.0 turbo. Seu design realmente dá um ar esportivo para o carro, mas não sai muito do campo estético, ou seja, o famoso esportivo de mentiririnha. Suas formas são inspiradas em outra versão do Fluence, o Dynamique, segundo a própria montadora, mas agora vêm também novas versões top de linha do modelo.

Falando em design, seu exterior continua bonito e com cara de sedan de respeito, ele tem aerofólio traseiro, saias dianteiras, traseiras e laterais e, também, conta com um conjunto de rodas de liga leve de 17 polegadas. O interno surpreende o visual, bancos de couro com costura vermelha, pedaleiras cromadas, bem ao estilo esportivo mesmo. Mas, nem tudo são rosas, debaixo do capô a história é outra.

Nada de inovação para o motor, ele continua no esquema 2.0, 16 válvulas, Hi-Flex de 143 cavalos e 20,3 kgfm de torque associado ao câmbio CVT. Apesar desse pecado contra o segmento esportivo, como sedan médio ele ainda mantém seu status. Ele vem recheado de design e atrativos como um teto solar elétrico de série e a câmera de ré. Além desses atributos, ele também vem equipado com sensor de chuva e crepuscular, 4 airbags (frontais e laterais dianteiros) e centro multimídia integrado com 7 polegadas de tela.

O Renault Fluence GT Line conta também com controlador de velocidade e ar condicionado de dual zone, tudo para deixar o carro extremamente confortável e fazendo a linha do segmento sedan. Esta série limitada conta com o câmbio automático CVT X-Tronic e, segundo a Renault, leva 10,1 segundos para atingir de 0 a 100 km/h no velocímetro, chegando a velocidade máxima de 195 km/h.

A garantia do Fluence GT Line é de três anos e, apesar de muito, não contenta os consumidores da marca. Sua estética esportiva tenta dar um toque de agressividade das pistas ao veículo, mas deixa a desejar quando comparado a versão Fluence GT, que vinha com potência de 190 cavalos e que não é mais produzido por aqui.

Mesmo com um motor já conhecido, o carro tem uma aparência muito bonita e concorre com a estética de outros sedans médios, tem luzes de LED, pára-choque com novas entradas de ar, spoiler integrado, farol com máscara negra e todos seus detalhes prateados dão uma estética fina e de requinte ao seu visual, mas não vai muito além disso.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA AUTOMAIS FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista Automais © Todos os direitos reservados

Automais na web:

Mudar minha localização