Nova Toyota SW4

Modelo (finalmente) mudou após 10 anos da 2ª geração

Aquela SW4 que conhecíamos não existe mais, suas referências a Hilux se foram e a Toyota investiu em design, conforto e tecnologia. A 3ª geração do SUV médio mais vendido do país agrada e tem pouquíssimas falhas. Nas lojas, seu preço parte de R$205 mil na versão V6 4.0 de 238 cavalos a gasolina, com 7 lugares, outra versão é o motor 2.8 turbodiesel de 177 cv, com opção de 5 assentos a R$220 mil e com 7 a R$225 mil. Em todas as versões o câmbio é sempre automático e de 6 marchas.

A versão de acabamento é a SRX – top de linha, a montadora afirma que no segundo semestre de 2016 o modelo ganhará uma versão flex, mais simples e que será a versão de entrada. A mudança da SW4 foi grande, seu novo chassi aumentou a rigidez em 20%, 66 pontos adicionais de solda e uso de material com mais aço de alta resistência. Além disso, o modelo foi totalmente modernizado e tem pouquíssimo elo com a versão anterior.

A frente da SW4 recebeu cromados na grade, molduras dos faróis e nas luzes auxiliares, o maior destaque vai para as luzes em LED nos faróis. Na traseira o visual é mais sóbrio, manteve-se a barra cromada entre as lanternas, mas foram completamente refeitas, ganhando um novo design – o conjunto ótico ficou menor e também recebe lâmpadas em LED.

A lateral ganhou vincos e tem a coluna em C – logo após as portas traseiras, mas uma falta da Toyota foi em relação ao revestimento interno das caixas de roda de trás, que expõe parte do chassi e do primer da pintura. Dentro do veículo a conversa é outra, a cabine mudou completamente – está mais vertical ao invés dos traços horizontais da 2ª geração.

Os instrumentos internos têm acabamento elegante e de muito bom gosto, no centro dos mostradores há uma tela de LCD que mostra informações como autonomia, consumo, temperatura externa e o modo de tração escolhido. Mas nem tudo é perfeito, o relógio digital em cor azul clara parece ter saído da pré-história, além do equipamento multimídia, o toque não é tão sensível e as respostas são lerdas – mesmo com as diversas funções (GPS, TV digital, leitura de DVD, entrada USB, conexão Bluetooth e streaming de áudio.

Na pista, o conforto é excelente, com um isolamento acústico muito bom e acelerações de forma progressiva (torque de 45,9 kgfm a partir de 1600 rpm). Na terra o SW4 aguentou bem, superou todos os obstáculos e provou a força de sua tração – que pode ser alterada de 4x2 para 4x4 em movimento até 100 km/h. Com tantas boas mudanças, será difícil algum concorrente tirar sua liderança no mercado.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA AUTOMAIS FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista Automais © Todos os direitos reservados

Automais na web:

Mudar minha localização