Amortecedor, seu melhor ou pior amigo!

Item é essencial para manter seu carro em bom estado

Você provavelmente já sabe, mas insisto em repetir: seu amortecedor merece um cuidado especial. Existem diversos estudos afirmando que um amortecedor em mau estado causa problemas para seu carro e, principalmente, para quem dirige. Um exemplo disso é o cansaço gerado pelo balanço desigual ou frequente, podendo gerar acidentes perigosíssimos.

Para acabar de vez com todas as suas dúvidas sobre o sistema de suspensão de seu veículo, conversamos com o Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe Amortecedores. Ele explica todos os mitos que você já ouviu por aí sobre seu amortecedor e quais são os cuidados básicos que você deve manter. Confira!

Automais: Desviar de buracos e lombadas realmente preserva os amortecedores?

Juliano Caretta: Em relação a buracos, é importante ressaltar que as más condições de pista prejudicam muito a suspensão do veículo, além de comprometer a segurança de motoristas e passageiros, aumentando consideravelmente os gastos com reparações. Para minimizar os prejuízos, a recomendação geral é ser cauteloso ao dirigir em locais mal pavimentados. Quando não for possível desviar dos buracos, o indicado é reduzir a velocidade e ter muita cautela ao passar por imperfeições, exigindo menos esforço dos componentes da suspensão. O segredo é diminuir a velocidade. Já nas lombadas, a recomendação é conduzir o carro em linha reta, para que o movimento seja uniforme nos dois lados do veículo. O costume de passar pela lombada na diagonal – uma roda de cada vez – pode prejudicar os demais componentes da suspensão. A velocidade também influencia na conservação do sistema de suspensão. A dica é trafegar entre 20 km/h e 30 km/h em lombadas de dimensões regulares, conforme Resolução nº 39/98, do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Quanto maior o desnível, menor deve ser a velocidade. A regra também deve ser aplicada em valetas.

AM: A qual quilometragem os amortecedores devem ser verificados?

JC: A vida útil do amortecedor será proporcional às condições de uso do veículo. A recomendação é revisar as condições dos amortecedores quando atingirem aproximadamente 40.000 quilômetros e, após este período, realizar checagens periódicas a cada 10.000 quilômetros,  ou conforme a orientação da fabricante do veículo. A inspeção dos amortecedores também é recomendada quando o motorista notar problemas de dirigibilidade, independentemente da quilometragem do veículo.

AM: Quais problemas que amortecedores desgastados podem causar ao veículo?

JC: Ruídos na suspensão, solavancos, balanços excessivos, falta de contato dos pneus com o solo, derrapagens, aumento da distância de frenagem, inclinação excessiva nas curvas e aquaplanagem são alguns dos principais sinais de desgaste dos amortecedores.

AM: É verdade que amortecedores desgastados podem causar cansaço no motorista?

JC: Amortecedores em más condições comprometem a dirigibilidade e provocam balanços e trepidações excessivas, tornando as manobras mais difíceis. Testes indicam que um amortecedor com 50% de desgaste pode aumentar em 26% o cansaço do motorista, aumentando consideravelmente o risco de acidentes.

AM: Utilizar amortecedores recondicionados pode acarretar riscos?

JC: Sim. O recondicionamento é uma espécie de reforma que pode maquiar itens comprometidos. As peças reaproveitadas não passam pelos mesmos processos de fabricação e qualidade adotados pela fabricante. Em muitos casos, os amortecedores usados são apenas lavados e pintados, ganhando aparência de novos. Neles, é comum utilizar um tipo de óleo diferente do especificado, produzindo variação na carga de amortecimento. Amortecedores recondicionados podem gerar deficiências na segurança, conforto e estabilidade do veículo, produzindo sérios riscos de acidentes.

AM: aquaplanagem pode ser pior se os amortecedores estiverem desgastados?

JC: A aquaplanagem é um fenômeno que ocorre quando a pista está molhada e uma fina camada de água se forma entre os pneus e o solo, prejudicando a aderência e o controle do veículo. Normalmente, o problema acontece a partir dos 50 km/h, mas pode variar dependendo do volume de água. Quando este volume é considerável, a aquaplanagem ocorre até em velocidades menores, a partir dos 30 km/h.  Manter os amortecedores e os pneus em boas condições é importante para ajudar a evitar a aquaplanagem. Amortecedores desgastados diminuem o contato do pneu com o solo, aumentando a instabilidade direcional e os riscos de acidentes em pisos molhados.

AM: Como cuidar bem do amortecedor?

JC: Além da manutenção regular dos componentes principais da suspensão do veículo, é necessário fazer a revisão periódica dos amortecedores. Tomar alguns cuidados básicos para aumentar o desempenho e tempo de vida útil do componente também é importante. Algumas medidas práticas são capazes de evitar o desgaste e manter o rendimento e a qualidade dos amortecedores, além de evitar acidentes. Dentre essas medidas, destaco: dirigir cuidadosamente e reduzir a velocidade em vias irregulares e malconservadas; evitar passar com o veículo na diagonal em valetas ou lombadas; respeitar o limite de peso do carro e, quando carregado, distribuir o peso uniformemente; além de manter as características originais do veículo e nunca modificar os amortecedores.

AM: Altas velocidades podem prejudicar os amortecedores?

JC: Tecnicamente não, desde que o veículo esteja andando em uma pista adequada. Porém, se o veículo estiver em alta velocidade, mas trafegando em uma pista comprometida, a intensidade dos impactos pode produzir um desgaste extra dos componentes internos do amortecedor, diminuindo sua vida útil e prejudicando a dirigibilidade do automóvel.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA AUTOMAIS FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista Automais © Todos os direitos reservados

Automais na web:

Mudar minha localização