Roberto Snaidero

“O iSaloni apresenta as tendências que serão tendências”

Já tendo estabelecido seus padrões de qualidade, a cada ano a organização do Salão Internacional do Móvel de Milão têm de trabalhar duro para atrair ainda mais atenção e investimentos, e surpreender seu público – expositores, visitantes e jornalistas. Em entrevista exclusiva à Revista DecorArq, Roberto Snaidero, presidente do evento, conta um pouco das projeções para a 56ª edição do evento, as novidades para este ano e o impacto da feira na Itália e no mundo.

 

Revista DecorArq - O que há de novo este ano e o que podemos esperar para a próxima edição?

Roberto Snaidero –Esta próxima edição certamente será excelente, assim como todas as outras foram. Estou certo de que, independentemente da incerteza econômica de alguns países e da concorrência internacional, iremos confirmar nosso lugar como referência em qualidade e inovação no setor de design de móveis e nas suas áreas correlatas, e ótimos negócios serão feitos a partir daqui. Digo isso, considerando os milhares de produtos que serão lançados durante a feira e também a excelência de nossos eventos paralelos. Aliás, em comemoração ao vigésimo aniversário do SaloneSatellite haverá uma exposição muito importante bem no centro de Milão. Uma enorme surpresa!

 

DecorArq – Você acredita, portanto, que os bons números do ano passado serão mantidos? Quais as expectativas gerais para a feira em 2017?

Snaidero –As expectativas são sempre altas, a começar pelo espaço de exibição que já está esgotado, com algumas últimas negociações em andamento. Há muitos mercados estrangeiros que estão particularmente interessados no mobiliário de alta qualidade com o selo “Made in Italy”. Nós estamos esperando receber mais de 300 mil visitantes de pelo menos 165 diferentes nações. A Chinadeverá continuar sendo o país com o maior número de visitantes – foram 24.410 em 2016 –, especialmente depois da nossa edição do Salão em Xangai em novembro passado, em que obtivemos um grande sucesso. Os russos, apesar da atual situação político-econômica no país, ocuparam a segunda posição no ano passado, com 14 mil visitantes, e esperamos recebê-los em peso novamente.

 

DecorArq - Visitantes brasileiros são presença garantida na feira todos os anos. Também veremos designers e marcas do Brasil expondo no Salão em 2017?

Snaidero – Até o momento temos apenas três marcas brasileiras confirmadas – A Lot Of Brasil, Butzke e Louis Kazan – e estamos em negociação com uma outra empresa do País. Infelizmente, não temos nenhum designer brasileiro participando do SaloneSatellite neste ano. Realmente uma pena!

 

DecorArq – Como avalia a atual cena de design? Há novos nomes surgindo?

Snaidero – O design é como a vida, uma evolução contínua. O profissional de design tem uma rotina muito ativa, pois não só tem de criar novos projetos como ficar de olho nas reais necessidades de seu público, nos novos materiais disponíveis e nos critérios de produção sustentável. Atualmente parece que todo mundo quer se tornar um designer, porque parece fácil se obter sucesso e se tornar uma estrela, porém, não é assim. Entre os muitos designers que estão por aí, pouquíssimos conseguem seguir com suas carreiras. Ainda assim, há aqueles que perseveram e, com isso, existem muitos nomes despontando na cena.

 

DecorArq –Além das áreas relacionadas ao design e ao mobiliário, qual o impacto de um evento dessa magnitude para a Itália?

Snaidero – O Salão Internacional do Móvel de Milão é um recurso muito precioso para a economia italiana, que precisa ser não só preservado, como também atualizado de acordo com as novas necessidades do seu público. O objetivo foi e ainda é essencialmente apoiar a indústria do setor. E, nesse sentido, Milão foi a escolha certa para a realização do evento, sendo referência mundial em design, baseando as raízes do que chamamos de “Made in Italy”. Com isso tudo, porém, o iSaloni gera lucros não só relacionados ao setor do mobiliário e do design, como também impacta ao turismo, gerando 220 milhões de euros – sendo 90% originados de visitantes estrangeiros – durante a feira.

 

DecorArq - O que torna este evento tão importante para o resto do mundo e como as tendências apresentadas em Milão irão impactar o campo do design em todo o planeta?

Snaidero – O formato vencedor do Salão do Móvel foi alcançado e consolidado ao longo dos anos com uma mistura de fatores muito importantes e que se complementam: empresas, designers, arquitetos, mídia, negócios, o evento e a cidade de Milão. Estamos conscientes de que temos de ser inovadores, porém. As mudanças do mercado e a situação econômica global deste momento nos obrigam a responder rapidamente aos pedidos de nossos clientes, que são expositores de um lado e visitantes do outro. O iSaloni apresenta, portanto, as tendências que se tornarão tendências. Ou seja, é o lugar onde as principais marcas do mercado trarão aquilo que será seguido por outras empresas a partir do evento.

 

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA DECORARQ FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista Decorarq © Todos os direitos reservados

Decorarq na web:

Mudar minha localização