Vou viajar! Quem vai cuidar do meu PET?

Tire suas dúvidas sobre qual é a melhor maneira de condicionar seu animal nas férias!

A chegada das férias e festas de final de ano é aquela boa oportunidade para pegar a estrada e passar uns bons dias viajando. Seja para a casa dos parentes, para a praia ou campo, até mesmo aquele sonhado mochilão pela América Latina, o destino na verdade não importa. O duro é viajar e deixar os PETs para trás, por isso preparamos essa matéria com as melhores maneiras de deixar seu animalzinho bem acomodado e diminuir o estresse pela separação.

As opções para acomodar seu animal são várias, você pode deixá-lo num hotel para PETs, em casa de parentes e amigos ou, ainda, na sua casa sob a supervisão de algum profissional ou conhecido. O mais importante é ter em mente que seu animal deve ficar num local que se sinta confortável e na companhia de pessoas que ele goste, segundo a veterinária Mariana Franco Godoy.

Se a escolha for por um hotelzinho para PETs, tenha em mente que a carteira de vacinação do animal deve estar sempre em dia, já que ele estará na companhia de outros animais que também estarão hospedados no local. Para a Dra. Mariana, é fundamental conhecer o espaço e a rotina dos funcionários antes de escolher uma hospedagem, além de ter conhecimento sobre como seu animal será tratado. Ela ainda ressalta que filhotes não devem passear na rua até os quatro meses de idade, pois a vacinação ainda não está completa.

Ainda há a possibilidade de deixar seu animal com amigos ou parentes, lembre-se apenas que deve ser alguém familiarizado com o bichinho para que ele se sinta confortável. Se você irá cuidar do PET de alguém, fique atento para a higiene do local – limpe as fezes e urina pelo menos uma vez ao dia -, também é importante que os potes de água e alimentação sejam trocados e limpos com regularidade.

Caso decida deixar seu animal em casa com a supervisão de algum amigo ou profissional, é preciso deixar bem claro que são necessárias ao menos duas visitas ao dia, que incluem passeios e brincadeiras, tudo para deixar o PET calmo e livre do estresse da separação.

A veterinária também alerta para a necessidade de medicação em alguns animais, a dica é deixar sempre anotado em algum lugar visível com os horários e remédios indicados para que a pessoa responsável não se esqueça desse cuidado específico. Uma dica valiosa é pedir para que a pessoa envie fotos para você do seu animal, tudo para verificar como está seu PET enquanto você está fora.

No caso dos gatos, Mariana alerta que eles não são muito favoráveis às mudanças, portanto seria melhor deixá-lo em casa sob a supervisão de alguém a sua escolha. Lembre-se que mesmo sem você, seu animal pode ficar tranquilo e sob os cuidados de alguém carinhoso e responsável! 

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização