Harmonização facial: A busca pelo rosto perfeito

Afinal, como funciona a técnica que vem fazendo sucesso entre os famosos?

Mandíbula e maxilar definidos, nariz empinado, sobrancelha arqueada, lábios carnudos e linhas de expressão preenchidas. Quem é não busca por um rosto bonito e harmonizado? Cada vez mais adotada por personalidades do meio artístico, sejam homens ou mulheres, a crescente procura pelo método de harmonização facial, vem também aumentando a discussão em torno do tema. Na busca pelo "rosto de celebridade", muitos ainda não compreendem como a técnica funciona e podem acabar se frustrando com os resultados.

É verdade que a insatisfação com a própria imagem causa grande impacto na vida pessoal e social. Geralmente, pessoas infelizes com a aparência tentam a todo custo camuflarem aquilo que compreendem como defeito. E as técnicas de harmonização facial podem, sim, gerar inúmeros benefícios, promovendo, entre outros pontos, a melhora na autoestima, trazendo impactos positivos na qualidade de vida e no bem-estar em geral.

No entanto, é essencial entender que como em toda melhoria estética, não devemos ansiar uma aparência igual a de outra pessoa. O volume dos lábios de uma atriz, por exemplo, é visto como algo bonito em seu rosto, pois foi planejado de maneira a ter simetria com todos os outros elementos de sua face. Nem sempre, porém, essa característica ficará harmônica em outra estrutura facial.

Conforme explica a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, grande parte das vezes, a queixa do paciente foca apenas em uma estrutura específica do rosto, quando, na verdade, o incômodo vem da falta de proporção entre diversas estruturas que compõem a face. "O descontentamento pode estar no nariz, mas o problema pode ser, na verdade, o queixo, já que o tamanho desta estrutura pode aumentar ou diminuir o tamanho percebido da região nasal", explica. Se apenas o nariz for tratado, a harmonia facial continuará alterada.

A harmonização facial consiste, então, em deixar todas essas estruturas harmônicas entre si. Para isso, claro, é necessário um diagnóstico preciso da causa da queixa do paciente.

Como é feita a avaliação?

Cada pessoa tem um rosto único. Na técnica de harmonização facial, portanto, o profissional avalia elementos como a estrutura óssea, a quantidade e qualidade de tecidos, assim como gordura, músculos, ligamentos, qualidade e aparência da pele, além da proporcionalidade entre os segmentos de toda a área. A avaliação pode ser realizada com o paciente tanto em repouso quanto durante os movimentos da musculatura.

“Hoje em dia tem se falado muito sobre MD Codes, um método criado pelo Dr. Mauricio de Maio, que, dividindo o diagnóstico da face em estrutura, contorno e refinamento, padroniza a avaliação e o tratamento global para atingir a harmonização facial”, completa a cirurgiã plástica Beatriz Lassance.

Quem pode realizar os procedimentos?

Os profissionais habilitados em realizar técnicas injetáveis e algumas das cirurgias são os dermatologistas e os cirurgiões plásticos. Recentemente, ainda, o Conselho Federal de Odontologia reconheceu que cirurgiões-dentistas também podem fazer os procedimentos que envolvem preenchimento.

Muito além do preço ou popularidade é preciso ficar atento ao escolher um profissional que esteja apto a executar as técnicas, com especialidade reconhecida por entidades oficiais, como o Conselho Regional de Medicina, a Sociedade Brasileira de Dermatologia e o Conselho Federal de Odontologia.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização