Lugar de fazer ginástica é no trabalho!

Ginástica laboral reduz danos e aumenta o desempenho de funcionários

No primeiro trimestre de 2016, a dor lombar foi responsável pelo afastamento de 24 mil trabalhadores – em média, 269 afastamentos por dia, segundo a Previdência Social. Ainda no último ano, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que 3,5 milhões de trabalhadores sofrem de Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteo Musculares Relacionados ao Trabalho (Dort), sendo estas, as doenças ocupacionais mais frequentes no País. 

“O corpo tem uma capacidade de adaptação incrível ao movimento e se passarmos horas, dias, meses e até anos repetindo a mesma coisa, é natural que nosso corpo se modele naquela direção”, explica a fisioterapeuta Aline Barbosa, do Clube de Reabilitação da Artro. “Muitas vezes as causas das dores são de origem mecânica, geradas por esse stress tecidual de mau uso repetido.”

No que tange às dores lombares, a fisioterapeuta aponta que má postura é a principal causa da dor, seja na realização de atividades do dia a dia ou na forma como sentamos no trabalho. “A principal dica de boa postura é sentar no fundo da cadeira”, aconselha Aline. Mudar esse hábito, no entanto, não é tão fácil quanto pensamos: “O vício da má postura pode estar registrado lá no cérebro, dificultando a mudança de hábito.”

Uma ótima maneira de prevenir essas dores – diminuindo, por consequência, a ausência de funcionários e melhorando a qualidade de vida e o desempenho destes – é o investimento em ginástica laboral. Trata-se de uma modalidade de atividade física utilizada dentro do ambiente de trabalho, no qual se tem como objetivo prevenir, promover e recuperar a saúde do trabalhador. Pode ser realizada tanto por fisioterapeuta quanto por equipe multidisciplinar, dependendo da necessidade de cada empresa.

“Todo sistema músculo esquelético se beneficia com essa prática. Tendinites, cefaleias e dores de origem mecânica gerais podem ser prevenidas e/ou tratadas”, esclarece Aline. “Os benefícios são similares ao da prática esportiva no geral. Podem ser inseridas também modalidades de relaxamento para o alívio do stress.”

A fisioterapeuta ainda explica que além de gerar benefícios efetivos na saúde desse trabalhador, a prática de atividades físicas no ambiente corporativo é importante para que o funcionário entenda a importância de se exercitar e passe a utilizar essas orientações em sua vida pessoal, melhorando ainda mais os resultados.  “Se na empresa que você trabalha tem ginástica laboral é bacana aderir. Pois, além de estar realizando o intervalo da sua função ocupacional, fazer alongamentos é sempre benéfico e relaxante”, fala a fisioterapeuta.

 

Fique ligado!

Como cada ambiente corporativo exige esforços específicos de seus colaboradores, é necessário que seja realizada uma análise geral do ambiente de trabalho em que serão avaliados aspectos biomecânicos, ergonômicas e estruturais. Lembrando que as questões mentais, cognitivas e sociais da equipe também são importantes.  A partir desses dados é que o programa pode ser incluído. 

O ideal é que a ginástica seja praticada todos os dias durante a jornada de trabalho. No entanto, uma média recomendável, segundo a profissional, seria de três vezes por semanas. “A dica é fazer a ginástica laboral sempre que ela é oferecida. O rendimento no trabalho melhora, a qualidade de vida aumenta e os resultados a curto e longo prazo com relação a dor e o condicionamento físico ficam evidentes”, completa a fisioterapeuta Aline.

Ela ainda finaliza: “Quando o corpo dói ele está avisando sobre alguma adaptação ou lesão, então é importante essa comunicação entre o colaborador e a equipe multidisciplinar de atendimento. Não espere a dor se intensificar, trate os sintomas desde o início.”

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização