Abstinência para emagrecer?

Especialistas afirmam que dá sim para manter uma dieta equilibrada e tomar uns drinks no final de semana

Vai chegando aquela época, pré-verão, na qual começamos a nos incomodar com os quilinhos extras. E logo começa a correria pela luta contra a balança. Regimes rígidos, academia todo dia e a temível abstinência alcoólica nos finais de semana. Não tem quem aguente tanta pressão, assim, é comum abandonar todos os planos fitness porque não conseguimos nenhum momento de prazer nessa vida.

Mas a nossa curiosidade foi maior. Será que realmente precisamos abdicar de tudo que mais gostamos para entrar em forma? Será que não podemos tomar nenhuma cervejinha mesmo? Ou aquele drink que sempre dá largada no Happy Hour? Bom, fomos atrás e conversamos com dois especialistas no assunto, o nutrólogo Dr. Theo Webert, especialista em performance humana e reequilíbrio corporal, além da Dra. Ana Paula Moura, nutricionista e fitoterapeuta.

Primeiro você precisa entender o porquê do álcool ser tão ruim para as dietas. “A presença de álcool no corpo diminui a queima de gorduras em até 70% menos. Isso porque o corpo passa a utilizar o álcool como fonte de energia ao invés da gordura corporal, o que dificulta muito a perda de peso”, explica o Dr. Theo Webert. A Dra. Ana Paula exemplifica que, num exemplo bem comum, em 1 lata de 350 ml de cerveja encontramos aproximadamente o mesmo valor calórico de um pão francês.

“As cervejas puro malte são as mais indicadas, pois elas possuem impacto menor na dieta, já que as de trigo, por exemplo, além de terem mais calorias por ser à base de um carboidrato, elas contêm glúten, uma proteína que aumenta a gordura visceral e a extensão abdominal.” – Dr. Theo Webert, nutrólogo especialista em performance humana e reequilíbrio corporal

 

“Uma dose de vodca, diluída com gelo, com limão e hortelã é um ótimo drink que não se bebe tanto. A cerveja é leve e desta forma vai ser ingerida em maior quantidade.” – Dra. Ana Paula Moura, nutricionista e fitoterapeuta

 

CALMA! NÃO CRIEMOS PÂNICO!

É lógico que você não deve abusar do álcool, mesmo se não estiver em dieta, mas dá sim para consumi-lo de forma prazerosa e moderada ao mesmo tempo. Para a Dra. Ana Paula, é importante ressaltar que qualquer restrição na alimentação gera frustração, ou seja, pode ser que sua dieta vá ralo abaixo em poucos dias. Por isso você pode consumir sua cervejinha ou drink, basta fazer boas escolhas. A Dra. Ana ainda dá a dica: “Oriento intercalar a cerveja com 1 copo de água bem gelada com limão, pois diminui a quantidade de cerveja ingerida”.

Já o Dr. Theo Webert puxa a orelha dos acompanhamentos da rodada. “Na verdade, a cerveja nunca anda desacompanhada e está sempre com as comidas, geralmente ricas em gordura e teor de caloria maior, como frituras, pastéis, calabresa”. Mas ele exalta a importância de se manter hidratado no happy hour, ou seja, água e o bom senso sempre devem ser os acompanhamentos principais da noite.

 

Confira abaixo o teor alcoólico de cada tipo de bebida:

VODKA: de 36 a 54%

VINHO: de 11 a 14%

SAKÊ: de 13% a 16%

UÍSQUE: de 35 a 54%

CERVEJA: cerca de 0,5%

GIM: cerca de 40%

CACHAÇA: de 38 a 48%

RUM: de 35 a 54%

LICORES: de 15 a 54%

TEQUILA: 35%

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização