Lúpus

A doença rara das mulheres

 

Considerada uma doença muito rara, o lúpus (lúpus eritematoso sistêmico) é caracterizada por ser uma patologia onde o próprio corpo agride seus orgãos. As pessoas afetadas – geralmente mulheres, são atingidas por substancias nocivas liberadas pelo próprio organismo e o anticorpo, que é um mecanismo de defesa, passa a ser de autoagressão. Porém, diagnosticada precocimente o paciente pode ter uma vida normal devido aos atuais contingentes terapêuticos e antibióticos potentes.

O lúpus é uma doença autoimune onde a defesa imunológica se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Como a doença pode atacar diversos orgãos distintos, o diagnostico pode demorar e ser confundido com outras enfermidades. O agravamento do quadro pode até levar a morte.

Para se identificar o lúpus, deve ser observado se o paciente tem quatro dos seguintes sinais, ao mesmo tempo: pequenas feridas na boca e nariz; fotossensibilidade: manchas na pele, especialmente após pegar sol; Lupus Discóide; mancha no rosto em forma de borboleta; dor nas articulações (artrite); doença renal; convulsões; inflamação na pleura, tecido que reveste os pulmões ou inflamação no pericárdio, tecido que reveste o coração; doenças hematológicas, como anemia, hipertensão e trombos; imunidade debilitada. O diagnóstico do lúpus pode ser alcançado com base no resultado do exame de sangue, que avalia os anticorpos.

Em uma crise, alguns sintomas podem estar presentes ao mesmo tempo ou não, como: febre;manchas na pele;vermelhidão no nariz e no rosto, formando um desenho como asas de borboleta;fotossensibilidade;pequenas feridas na boca e no nariz;dor nas articulações;fadiga;dificuldade em respirar;taquicardia;tosse seca;cefaléia;convulsões;anemia;inchaço, pouca urina;dor de cabeça;mal-estar;perda do apetite;ansiedade;depressão;doenças reumatológicas, renais, do sangue;doenças do aparelho respiratório.

O tratamento para o lúpus sempre foi feito com medicamentos corticosteróides e imunossupressores. Porém, atualmente com os avanços da medicina, estão sendo ultilizados recursos melhores, inclusive em relação à própria cortisona, que trás muitos efeitos colaterais ao paciente, como aumento de pressão e retenção de sal e água, fazendo com que a pessoa ganhe peso. Os corticoides modernos podem ser injetados por via endovenosa o que é chamado de pulso terapêutico, uma tecnica que consiste em hospitalizar a paciente e infundir de uma só vez, numa única aplicação, grande quantidade de corticoide.

Uma pessoa com lúpus pode levar uma vida normal se tomar alguns cuidados especiais no dia a dia. Ela deve se proteger da radiação solar e usar fotoprotetor todos os dias. Deve tomar cuidado com a administração de pílulas anticoncepcionais, pois o aumento nos níveis de estrógeno pode desencadear novo surto da doença. A gravidez tambem precisa de supervisão e cuidados.

Os portadores da doença tambem devem tomar cuidados ao contrair doenças e infecções, pois elas podem ser agravadas pelo lúpus. Evitar grandes conglomerados ou agrupamentos de pessoas é uma das preucauções indicadas.

 

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

14 99602-6689

celma@grpmais.com.br

Rua Benjamin Constant, 499 
Vila Moraes - Ourinhos
CEP: 19.900-041

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Selecione a cidade mais próxima da sua região