Pílula anticoncepcional engorda?

Saiba quais são os mitos e verdades sobre esse método contraceptivo

Vira e mexe ela sempre se torna pauta nas rodinhas de conversa entre amigas e também nos consultórios. O uso diário da pílula anticoncepcional é uma preocupação constante para inúmeras mulheres que querem se informar sobre a segurança do método, que serve como solução para evitar a gravidez indesejada, além de ter outros benefícios como controle de algumas doenças e reduzir o risco de câncer de mama e de ovário - desde que seguindo orientação profissional adequada. 

Ao longo dos anos novas fórmulas contraceptivas – uso oral, anel vaginal, injeções ou adesivos – foram criadas e, junto com a evolução do método, vieram também uma série de dúvidas que pairam sobre o assunto. Sabendo disso, a Dra. Flávia Fairbanks, ginecologista do Hospital das Clínicas da USP e da Clínica FemCare, esclarece os mitos e verdades sobre a pílula anticoncepcional. Leia mais:

A pílula anticoncepcional pode facilitar o ganho de peso. – MITO!

A pílula diretamente não engorda, mas pode aumentar a vontade de comer carboidratos e colaborar na retenção de líquido, porém existem pílulas com progesteronas específicas que diminuem a retenção hídrica. Mas isso vai depender da experiência de cada mulher com o método.

Pílula anticoncepcional dá celulite. – VERDADE!

De acordo com a especialista, a pílula pode contribuir para a retenção de liquido e, em mulheres com tendência a ter celulite (geralmente associada à sensibilidade aos estrogênios), com má alimentação e sedentárias, essa tendência pode ser potencializada. Caso a mulher note uma sensação de inchaço maior no corpo, decorrente do uso da pílula, é recomendado que procure um ginecologista para buscarem uma outra alternativa para melhorar esse aspecto.

Tomar a pílula anticoncepcional pode aumentar o tamanho dos seios. – MITO!

Como já falamos anteriormente, o que pode acontecer é uma retenção de liquido, que também pode levar ao inchaço nas mamas, além do aumento da sensibilidade mamária.

O anticoncepcional ajuda a melhorar o aspecto da pele. – VERDADE!

A ginecologista explica que os hormônios das pílulas ajudam a reduzir a oleosidade da pele, a acne e até a grande quantidade de pelos. Isso acontece porque muitas mulheres podem ter os níveis de androgênios (hormônios masculino) mais elevados e a pílula ajuda a equilibrar esse quadro, podendo até servir como uma forma de tratamento, desde que seja orientado por um ginecologista.

Se eu tomar pílula, é verdade que terei mais risco de ter trombose? – VERDADE!

Isso depende do anticoncepcional e da genética da mulher. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mulheres que usam anticoncepcionais contendo drospirenona, gestodeno ou desogestrel (encontradas em algumas pílulas) têm um risco de 4 a 6 vezes maior de desenvolver tromboembolismo venoso em um ano, do que as mulheres que não usam contraceptivos hormonais combinados. Mas se não há outros fatores de influência, o risco é pequeno, por isso é sempre recomendado que as mulheres não escolham a pílula por conta própria.

É verdade que o antibiótico diminui a eficácia do anticoncepcional? – VERDADE!

A interação da pílula anticoncepcional com o antibiótico pode cortar ou reduzir o efeito da pílula. Isso acontece porque o antibiótico compete com a pílula no metabolismo do fígado, saindo ambos prejudicados. E já que o organismo precisa priorizar um dos dois medicamentos, é natural que ele dê mais importância ao antibiótico. A adoção de outro método contraceptivo, como preservativos, é indicada neste caso para aumentar a segurança.

Pílula anticoncepcional: existe uma idade certa para o início. – MITO!

Não existe uma idade ideal para começar a usar a pílula. A partir de alguns ciclos após a menarca já se pode fazer o uso, desde que haja clara indicação para isso. Os cuidados no início envolvem tentar empregar uma dosagem de hormônio mais baixa, verificar possíveis contra-indicações e avaliar a real necessidade do contraceptivo e da frequência de relações sexuais.

A infertilidade pode ser causada pelo uso contínuo do anticoncepcional. – MITO!

O anticoncepcional não interfere na fertilidade, já que quando a mulher para de utilizar a pílula ela pode engravidar normalmente, a menos que já tenha algum problema de fertilidade. Isso acontece porque o uso desse contraceptivo é reversível e não causa danos à saúde da mulher, pelo contrário, ajuda a diminuir os riscos de desenvolver endometriose, cisto no ovário e o aparecimento de mioma e pólipo uterino.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

Matriz Ourinhos: (14) 3322-2465
Filial Vitória da Conquista: (77) 3422-4233

Matriz: contato@grpmais.com.br
Redação: redacao@grpmais.com.br

Matriz:
Rua Benjamin Constant, 499 
Vila Moraes - Ourinhos/SP
CEP: 19.900-041
 
Filial: 
Avenida Expedicionários, 753, Sala 1 
Cond. Vilarejo | Bairro Recreio - Vitória da Conquista/BA
CEP: 45.020-310

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização