Marcelinho Carioca

“Sou um vencedor na vida”

Ele é um craque do futebol, um dos grandes ídolos da história do Corinthians e foi até apelidado de “pé de anjo” por ser um exímio cobrador de faltas. Marcelinho Carioca é conhecido por ser dono de uma forte personalidade e não ter papas na línguas.

O seu jeito ousado no futebol ainda menino, com 16 anos, foi o que lhe ajudou a construir uma carreira brilhante nos gramados e em diversos clubes pelos quais atuou como o Madureira, Flamengo e Vasco. Mas foi no Corinthians que o dono da camisa alvinegra de número sete conquistou 10 títulos e foi nomeado de “Sr. Centenário” no ano em que o Timão completou 100 anos de história.

Em uma entrevista exclusiva para a +Saúde, Marcelinho relembrou um pouco do seu início no futebol, falou sobre os seus cuidados com a saúde e os planos para o futuro. Confira!

+Saúde: Você é um grande ídolo do futebol, seu nome ainda é muito lembrado mesmo após uma década longe dos gramados. Quem é o Marcelinho Carioca hoje?

Marcelinho Carioca: Hoje um vencedor na vida! Sou um empreendedor, empresário, jornalista e pré-candidato a deputado estadual de São Paulo.

+S: Como você avalia sua trajetória no esporte, desde o Marcelinho que jogava ainda menino no Madureira, que teve a sua primeira chance entre os profissionais no Flamengo, até ser o ídolo do Corinthians?

MC: O início no Madureira Esporte Clube foi como sonho de todo menino de jogar num grande clube e vestir a camisa da seleção brasileira, e isso aconteceu do Madureira para o Flamengo. Estreei no dia 30 de novembro de 1988, numa quarta-feira às 21h45, no lugar do Zico aos 11 minutos do primeiro tempo num jogo Fla-Flu no Macaranã. Depois indo para o Corinthians onde tudo realmente aconteceu: 10 títulos, 206 gols marcados em 432 jogos.

Eu sou um filho de um gari que me incentivou a ir atrás dos meus sonhos, lutou pela minha educação, por isso estudei e me formei mesmo jogando futebol. Então me sinto muito feliz e realizado. O esporte trouxe feitos maravilhosos para a minha vida!

+S: Você se formou em jornalismo recentemente. Passou a atuar como repórter no programa Jogo Aberto da Band. Pretende se dedicar a mais essa carreira?

MC: Pretendo atuar na comunicação, sim. Mas no momento estou na política porque vejo a política como a arte de construir, realizar e transformar, por isso chegou o momento de devolver para sociedade tudo o que ela proporcionou para mim.

+S: Na sua opinião, esporte é sempre saúde?

MC: O esporte, no geral, traz saúde, traz vida, educa, é até um meio de inclusão social. Então se a pessoa já deixa de ser sedentária com certeza ela vai viver muito mais praticando esportes.

+S: O futebol é inegavelmente a grande paixão nacional. E também uma forma de muita gente se exercitar para manter o condicionamento físico. Mas você acha que vale a pena, para os amantes da pelada de fim de semana, suar a camisa e depois se acabar no churrasco com amigos?

Olha, o futebol profissional requer sacrifícios, porque o principal instrumento de trabalho é o corpo e esse corpo precisa estar bem treinado, bem alimentado e bem descansado para ter um bom resultado na quarta ou no fim de semana. Agora, o futebol de várzea é um futebol mais moleque, alegre e divertido na pelada. O cara não se prepara durante a semana, cada um tem o seu trabalho e seus afazeres e ele quer jogar futebol para bater um papo, fazer um churrasco, tomar uma cerveja, se divertir e está mais do que certo!

+S: E como você cuida da sua saúde hoje, Marcelinho?

MC: Treino pelo menos três vezes por semana, procuro cuidar da minha alimentação e levar uma vida normal.

+S: Seus filhos, Lucas e Matheus, também acabaram optando pela carreira do futebol. Você se considera responsável por isso? Que conselhos dá a eles?

MC: O primeiro conselho que eu dou é de priorizar os estudos. Fico feliz com a parte comportamental e educacional deles. E a opção pelo futebol foi deles mesmo, lógico que viram o pai jogando, mas é algo totalmente deles. Se fosse qualquer uma outra coisa, teriam meu apoio também.

+S: E como anda a sua vida de torcedor?

MC: Não sinto falta de estar nos gramados. Hoje eu quero estar curtindo com os amigos, quero torcer pelo Corinthians, pelo Brasil, e ter uma vida tranquila, como todo torcedor brasileiro.

+S: Quais são seus planos para o futuro?

MC: Hoje meu foco é entrar na Assembleia Legislativa como deputado estadual, fazer políticas públicas, trazendo o esporte como um meio de inclusão social. Quero realmente poder ajudar o povo paulistano.

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

Matriz Ourinhos: (14) 3322-2465
Filial Vitória da Conquista: (77) 3422-4233

Matriz: contato@grpmais.com.br
Redação: redacao@grpmais.com.br

Matriz:
Rua Benjamin Constant, 499 
Vila Moraes - Ourinhos/SP
CEP: 19.900-041
 
Filial: 
Avenida Expedicionários, 753, Sala 1 
Cond. Vilarejo | Bairro Recreio - Vitória da Conquista/BA
CEP: 45.020-310

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização