TABACO

Sua saúde escapando pelos próprios dedos

Dizem que alguns hábitos nunca mudam. Felizmente, no entanto, a nova geração de homens adultos está aqui para provar o contrário. Segundo estudo realizado pela WGSN, autoridade mundial na previsão de tendências nas mais diversas áreas, os homens de meia idade (entre 35 e 50 anos) estão, finalmente, seguindo os passos das mulheres e dando mais atenção à sua saúde. A conclusão vai ao encontro do número de fumantes em todo o mundo, que caiu de 29% para 12% entre o sexo masculino, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Apesar do número significativo, a diminuição ainda é insuficiente para atingir as metas globais de proteção às pessoas com foco no combate às mortes e aos sofrimentos causados pelas doenças cardiovasculares e outras enfermidades crônicas não transmissíveis potencialmente causadas pelo tabagismo. Se você é um desses “novos homens” preocupados com a saúde e com muita vontade de viver, mas ainda assim não consegue se livrar do vício, o primeiro passo é reconhecer o potencial extremamente nocivo do cigarro e outros itens à base de tabaco, considerado o único produto legal que causa a morte de cerca de metade de seus usuários regulares. Ficou chocado? Nós também!

 

Um dos problemas mais comuns entre os homens fumantes é a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), originária da combinação entre a bronquite crônica, que é a inflamação dos brônquios pulmonares, e o enfisema, destruição das paredes dos alvéolos dos pulmões. Com sintomas de início pouco assustadores - tais como  tosse, falta de ar, boca seca e pouca disposição -, a doença, que não tem cura, é geralmente diagnosticada após os 40 anos, prejudicando o tratamento na busca por garantir mais qualidade de vida ao paciente e podendo levar à morte.

 

Pneumologista da clínica médica do Hospital Universitário de Taubaté, José Roberto Megda aponta que “os homens só costumam procurar ajuda médica quando os sintomas não vão embora e se agravam, ou seja, quando a condição já está avançada”. Por isso, visitas regulares ao médico, sobretudo quando se é fumante, são fundamentais para um diagnóstico precoce e a realização do tratamento adequado.


Vale dizer que apesar de o tabaco não ser a única causa da doença, ele é, certamente, a mais comum entre elas. “A recomendação mais efetiva para os homens jovens e adultos é que não fumem ou, se já fumem, que busquem ajuda médica para abandonar esse hábito”, é enfático Megda. “Também é importante que a pessoa tenha mais atenção aos sinais do organismo, pois se observar algo diferente, já sabe que está na hora de procurar um especialista.”


Vamos juntos construir um mundo com hábitos positivos e uma vida com +Saúde?!

ASSINE NOSSO BOLETIM

Cadastre-se e fique por dentro das novidades da revista

A REVISTA +SAÚDE FAZ PARTE DO GRUPO GRPMAIS
Revista +Saúde © Todos os direitos reservados

+SAÚDE na web:

Mudar minha localização